O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) explicou esta sexta-feira que os fenómenos meteorológicos ocorridos de manhã em Beja e Palmela aconteceram devido a “células convectivas desorganizadas”, supercélulas, que podem originar a formação de tornados.

Em declarações à agência Lusa, o meteorologista Nuno Moreira explicou que as células convectivas se encontram associadas a uma depressão no oceano Atlântico, em deslocamento para nordeste e a entrar, durante a tarde de hoje, em Portugal continental.

O que aconteceu hoje de manhã em Beja e em Palmela foi a ocorrência de células convectivas desorganizadas, que designámos de supercélulas e que contêm no seu interior mesociclones, estrutura que pode dar origem a tornados, por exemplo”, salientou.

As autoridades registaram entre as 00:00 e as 13:00 desta sexta-feira , em Portugal continental, 162 ocorrências originadas pelo mau tempo, tendo sido o distrito de Lisboa o que teve mais casosl.

Segundo fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o maior número de ocorrências registadas foram pequenas inundações (103), quedas de arvores (31) e queda de estruturas (9).

No distrito de Lisboa, entre as 00:00 e as 13:00, registaram-se 71 ocorrências, sendo aquele com maior número de casos.

Como ocorrências mais significativas, a fonte da ANPC destaca as inundações na cidade de Setúbal e de Beja e “fenómenos estranhos relacionados com o vento” em Palmela (distrito de Setúbal).

Uma tempestade intensa atingiu esta sexta-feira de manhã várias zonas da cidade de Beja e provocou a queda de mais de 100 árvores e danos em veículos e infraestruturas, disse à Lusa fonte dos bombeiros.

Já no concelho de Palmela, um fenómeno de ventos fortes ocorrido na Estrada do Lau, provocou a queda de árvores de grande porte, de postes da EDP e fez danos em duas habitações.

Nas próximas horas, a ANPC vai estar com especial atenção aos distritos de Leiria, Coimbra e Aveiro, onde “poderão surgir algumas ocorrências relacionadas com ventos fortes e precipitação”.

Estamos a acompanhar essa situação. Irão manter-se as condições meteorológicas adversas com vento forte nas terras altas e precipitação e, provavelmente, provocar alguns danos nas zonas mais urbanas”, perspetivou a fonte da ANPC.

Treze distritos de Portugal continental estão sob aviso amarelo por causa do vento e da chuva que pode ser por vezes forte e acompanhada de trovoada, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, os distritos de Aveiro e Viseu estão sob aviso amarelo desde as 06:00 e até às 18:00 devido à previsão de aguaceiros por vezes fortes.

Os distritos da Guarda, Castelo Branco, Coimbra, Leiria, Lisboa, Santarém, Setúbal, Beja e Faro estão sob aviso amarelo devido à chuva (até às 18:00 ) e vento por vezes forte com rajadas até 75 quilómetros por hora, sendo até 85 quilómetros por hora (km/h)nas terras altas (até às 21:00).

Os distritos de Portalegre e Évora estão sob aviso amarelo desde as 06:00 e até às 21:00 por causa do vento forte.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

/ HCL