Sobre as buscas ao Governo da Madeira, o atual presidente, Miguel Albuquerque, disse esta quinta-feira aos jornalistas que "nada tem a esconder" e que espera que todos os factos sejam apurados. 

Não tenho nada a esconder e estou perfeitamente de consciência tranquila uma vez que não cometi qualquer ilegalidade nem qualquer ato ilícito. Nunca fui pessoa de promover esse tipo de esquemas de violação da lei", declarou o governante aos jornalistas.

 

O Governo Regional e a minha pessoa disponibilizam tudo o que é necessário para se apurar o mais rapidamente a verdade. Acho que é fundamental neste momento esclarecer tudo o que é necessário esclarecer", adiantou.

Miguel Albuquerque garantiu ainda estar "totalmente" disponível para colaborar com a justiça.

Eu não estou acusado de nada, nem condenado por nada e eu sempre atuei, no quadro do meu comportamento, sempre dentro dos padrões éticos e vou continuar a fazê-lo", concluiu.

Elementos do Ministério Público apreenderam na quarta-feira vários documentos nas instalações da vice-presidência do Governo Regional da Madeira. Em causa está a concessão da Zona Franca da Madeira ao Grupo Pestana.

A TVI confirmou que os magistrados recolheram todas as deliberações tomadas pelo Governo Regional sobre o assunto desde o ano em que foi concessionado o Centro Internacional de Negócios e que foi constituída a Sociedade de Desenvolvimento da Madeira.

Ao que a TVI conseguiu apurar, estão em causa alegados crimes de prevaricação ou abuso de poder. 

Também se realizaram buscas na sede do Grupo Pestana.

Redação / LF