Uma equipa da Polícia Judiciária (PJ) está esta quarta-feira em Borba a proceder a investigações para apurar as circunstâncias do deslizamento de terras para pedreiras e o colapso de um troço de estrada, revelou à agência Lusa fonte policial.

De acordo com a mesma fonte, a intervenção da PJ surge na sequência de um inquérito instaurado pelo Ministério Público (MP) ao acidente ocorrido na tarde de segunda-feira na zona de Borba, distrito de Évora, e que provocou, pelo menos, dois mortos, além de haver três pessoas desaparecidas.

O MP instaurou um inquérito para "apurar as circunstâncias que rodearam a ocorrência”, segundo a Procuradoria-Geral da República, em resposta enviada à agência Lusa.

O deslizamento de um grande volume de terra da estrada, que provocou "a deslocação de uma quantidade muito significativa de rochas, de blocos de mármore e de terra para o interior de pedreiras contíguas ocorreu às 15:45 de segunda-feira.

As operações de drenagem da água das pedreiras onde ocorreu o deslizamento de terras recomeçaram na manhã desta quarta-feira com a instalação de 400 metros de mangueira para drenar a água de um dos poços. Os trabalhos foram retomados cerca das 8:40.

Na tarde de hoje, vão ser esticados, pelo menos, mais 600 metros de mangueira, ligadas a três motobombas, para drenar a água do segundo poço, que tem cerca de 250 mil metros cúbicos de água e 50 metros de profundidade.

O Governo já pediu uma inspeção ao licenciamento, exploração, fiscalização e suspensão de operação das pedreiras situadas na zona de Borba.