Uma ribeira de águas turvas e muita espuma, no concelho de Tondela, no centro do país, tem deixado um rasto de morte e destruição.

Análises recentes a que a TVI teve acesso denunciam contaminação química e microbiológica das águas. No entanto, o presidente da Câmara de Tondela, José António de Jesus, tem desvalorizado o problema e até já chegou a dizer que a espuma é da água a bater nas pedras.

A Agência Portuguesa do Ambiente, que é a entidade com poder para travar este crime ambiental, não respondeu às perguntas da TVI.

A população vai, agora, avançar com uma petição pública à Assembleia da República, ao Governo e à autarquia para exigir medidas urgentes que travem este crime que se arrasta há 25 anos perante a indiferença do presidente da Câmara, o mesmo homem que devolveu ao município mais de 11 mil euros que recebeu indevidamente por deslocações em viatura própria quando, na verdade, usava o carro da autarquia.

Este último caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária há mais de ano e meio, mas só após a reportagem da TVI a denunciar o caso, em janeiro deste ano, é que o autarca do PSD devolveu o dinheiro que recebeu indevidamente. Também o vereador do turismo, Pedro Adão, devolveu mais de 10 mil euros a que não tinha direito.