Uma mulher, de Loures, nos arredores de Lisboa, foi constituída arguida e sujeita a termo de identidade e residência por ter simulado um crime de roubo de telemóvel, segundo revela um comunicado da PSP.

A PSP refere que a mulher apresentou inicialmente queixa na esquadra de Loures e, num segundo momento, no posto da Guarda Nacional Republicana, o que levantou “suspeitas de situação de denúncia simulada”.

Havendo fortes suspeitas que estariam perante uma situação de denúncia simulada, tendo em vista a burla da seguradora, foi a suspeita contactada a fim de prestar esclarecimentos adicionais relativamente às participações criminais anteriormente mencionadas", salienta o comunicado, acrescentando que "confrontada, a mesma veio prontamente assumir a falsidade dos factos que veio comunicar às autoridades".

De acordo com a PSP, nos últimos meses foram detetados “mais de 50 casos” de roubos simulados nos concelhos de Odivelas e Loures, tendo em vista burlar as seguradoras.