O número de infetados com o vírus da Covid-19 num lar de Reguengos de Monsaraz subiu este sábado para 62, segundo as autoridades locais.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara e responsável pela Proteção Civil de Reguengos de Monsaraz, José Calixto, disse que dos seis novos casos, a juntar aos 56 já conhecidos, “quatro resultam dos 47 testes” cujo resultado ainda era desconhecido, “um resulta da repetição dos inconclusivos” e o outro é “o caso que deu início” à testagem massiva, cujo resultado “só agora foi oficializado”.

Um dos casos é um funcionário do lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva e cinco são utentes, elevando o total de infeções para 17 funcionários e 45 utentes da instituição.

Os seis novos casos ainda não estão incluídos no boletim da situação da pandemia em Portugal divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde.

O primeiro caso positivo de Covid-19 no lar de Reguengos de Monsaraz foi detetado na quinta-feira de manhã, tendo no próprio dia sido iniciados os testes a todos os 105 funcionários e 83 utentes da instituição, explicou hoje o Presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde do Alentejo, José Robalo.

 De acordo com declarações prestadas hoje em conferência de imprensa pelo responsável de Autoridade Local de Saúde do ACES Alentejo Central, Augusto Santana de Brito, o surto de Covid-19 detetado no lar pode já estar instalado na comunidade.

Com exceção de um único caso que ficou internado em enfermaria, no Hospital do Espírito Santo, em Évora, todos os utentes que testaram positivo encontram-se em residências de familiares ou na instituição.

 Quanto aos funcionários infetados, encontram-se todos em isolamento nas suas residências.

. / HCL