A estilista norte-americana Tory Burch já reagiu às acusações de apropriação cultural e plágio de uma peça tradicional portuguesa, que têm inundado as redes sociais esta quinta-feira.

Em causa está a comercialização de uma camisola que descrevia como "inspirada na baja mexicana", no entanto, trata-se de uma cópia da famosa e bem portuguesa camisola poveira, peça de artesanato da Póvoa de Varzim. 

A polémica instalou-se e os portugueses fizeram-se ouvir nas redes sociais da criadora norte-americana. Em resposta, a estilista recorreu ao Twitter para pedir, em português, "sinceras desculpas aos portugueses", admitindo que foi "um erro" não ter assumido a sua inspiração e que a marca está a "corrigir o erro".

Na mesma mensagem, a marca adianta que está a "trabalhar em conjunto com a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim" para encontrar uma solução para "apoiar os artesãos locais". 

A peça de roupa estava à venda pela módica quantia de 695 euros, cerca de dez vezes mais do que o valor pelo qual é vendida na Póvoa de Varzim, onde é tricotada à mão, e apesar de ter sido descrita como "inspirada na baja mexicana", apresenta os mesmos motivos marítimos da camisola original, assim como a coroa da monarquia portuguesa, bem no centro.

A camisola poveira, originalmente usada pelos "homens do mar", tem mais de cem anos de história e encontra-se neste momento em fase de certificação.

Camisola poveira afinal não foi a única "inspiração"

A camisola típica da Póvoa de Varzim parece não ter sido a única peça a servir de inspiração a esta marca norte-americana.

Segundo notam vários internautas no Twitter, há uma série de peças no website de Tory Burch muito semelhantes às loiças da portuguesa Bordallo Pinheiro.

Redação / publicado por Rafaela Laja