A vacinação contra a covid-19 arranca em Portugal este domingo. A vacina é gratuita e facultativa e vai ser administrada de acordo com grupos prioritários já estabelecidos pelas autoridades de saúde.

No dia em que as primeiras vacinas chegaram a Portugal, o Governo lançou um portal na Internet, com o intuito de esclarecer os cidadãos e responder às questões mais comuns. Paralelamente, foi também lançado um simulador que permite a cada cidadão saber quando vai ser vacinado. Não o dia exato, claro está, mas em que grupo se enquadra e em que altura do ano está prevista a administração da sua vacina.

A página estabelece apenas uma previsão e não permite a marcação da vacina. O que vai acontecer é que, na altura prevista para a vacinação do seu grupo, deverá receber um sms a questionar se quer ou não ser vacinado. Se responder “não” ou não responder, não volta a ser contactado. Se responder “sim”, deverá ser posteriormente contactado para marcar a data concreta da administração da vacina.

primeiro lote das vacinas contra a covid-19, desenvolvida pela Pfizer-BioNTech, já chegou a Portugal, à zona de Coimbra, e foram escoltadas pela Guarda Nacional Republicana (GNR). 

A ministra da Saúde classificou este momento como um "marco histórico" num ano "tão difícil", mas relembrou que os portugueses não se podem esquecer que estamos no inverno e que ainda há "um combate muito grande por fazer".

É um marco histórico para todos nós, é um dia importante depois de um ano tão difícil para a maioria de nós, para os portugueses, para os europeus em geral, em que foi tão difícil ter de lidar com tanta incerteza, em que foi difícil ter de lidar com tantas circunstâncias novas e em que foram pedidos tantos sacrifícios. Abre-se agora uma janela de esperança com uma vacina que se espera que, no próximo ano, nos ajude a combater a doença, sem que nos esqueçamos que neste momento ainda estamos no início do inverno. Há ainda um combate muito grande por fazer, mas há agora uma oportunidade e uma esperança que resulta da  nova vacina".

Do ponto de vista de Marta Temido, o momento que o país está a viver, com a distribuição das primeiras vacinas pelas empresas farmacêuticas, em Portugal e um pouco por todo o mundo, “simboliza também o que é a capacidade da ciência de ajudar a resolver problemas novos”.

Para a ministra, o Governo, os profissionais de saúde e os portugueses em geral “arrancam para 2021 com esperança e energia redobrada” face à necessidade de dar resposta ao “muito que importa fazer” no contexto da luta contra a pandemia da covid-19.