Os níveis de CO2 na atmosfera tornaram a bater recordes. Este sábado, a concentração atmosférica de dióxido de carbono, medida pelo Observatório de Mauna Loa, no Havai, atingiu os 415.26 ppm (partes por milhão), um valor nunca ultrapassado na história da Humanidade.

Desde a Revolução Industrial, os níveis de CO2 na atmosfera aumentaram 140 ppm. De acordo com o Instituto de Oceanografia da Universidade de San Diego. na Califórnia,, em 1700, a quantidade do gás rondava os 275 ppm e, só nos últimos dois anos, o aumento em relação à era pré-industrial foi de 5 ppm, tornando os valores de dióxido de carbono na atmosfera os mais elevados em 800 mil anos.

Contudo, segundo os cientistas, a marca ultrapassada este fim de semana nunca terá sido atingida desde da existência do Homem moderno.

“Esta é a primeira vez que na História da humanidade em que a nossa atmosfera registou mais de 415 ppm de CO2. Não apenas desde a História registada, não apenas desde a invenção da agricultura há 10 mil anos. Desde antes dos humanos existirem, há milhões de anos. Não conhecemos um planeta assim”, escreveu o meteorologista Eric Holthaus, no Twitter.

 

 

De acordo com os registos científicos, a última vez que os níveis de CO2 ultrapassaram os 1000 ppm, a Antártida era uma floresta e as temperaturas no Oeste da Europa ultrapassavam 10 a 15 graus superiores à média atual. Este cenário teve lugar há mais de 50 milhões de anos, no Período do Paleoceno.

A este ritmo de crescimento, estima-se que sejam atingidos os mesmos 1000 ppm até ao final do século.