A agência norte-americana responsável pela segurança automóvel (NHTSA) está a investigar o piloto automático da Tesla, após ter sido relatada uma série de colisões com veículos de emergência, que estavam estacionados.

Desde 2018, foram identificados pelo menos 11 incidentes, que causaram 17 feridos e uma morte.

A maioria dos acidentes ocorreu à noite e os locais do acidente tinham medidas de controlo, como luzes e cones de sinalização de emergência", referiu a NHTSA, citada pela BBC.

Segundo o jornal The Guardian, estão a ser avaliados cerca de 765 mil carros, especificamente todos os carros dos modelos Y, X, S e 3, lançados entre 2014 e este ano.

Depois de ter sido aberta a investigação, as ações da Tesla caíram mais de 5% na bolsa de Nova Iorque.

A NHTSA lembra ao público que nenhum veículo é capaz de conduzir sozinho. Todos exigem que um condutor humano esteja atento o tempo todo", afirmou a agência em comunicado.

LEIA TAMBÉM:

CONDUTOR ALCOOLIZADO ADORMECE AO VOLANTE E É SALVO POR PILOTO AUTOMÁTICO DE TESLA

POLÍCIA DETÉM HOMEM "A GUIAR CARRO DO BANCO DE TRÁS" EM PLENA AUTOESTRADA

TESLA EM PILOTO AUTOMÁTICO DESPISTA-SE E FAZ DOIS MORTOS, NOS EUA

Redação / IC