Um lago gelado na cratera de Korolev, no deserto árido de Marte, é uma das imagens mais partilhadas de 2018, revelou a Estação Espacial Europeia no Twitter, numa espécie de balanço do ano que agora termina.

A imagem foi capturada pela Mars Express e foi revelada ao mundo a 21 de dezembro, altura em que a missão europeia celebrou 15 anos no planeta vermelho.

A cratera, com 82 quilómetros de diâmetro, está sempre congelada devido a um fenómeno atmosférico apelidado de "armadilha gelada". Isto porque na base da cratera, a cerca de dois quilómetros de profundidade, há um depósito de gelo que faz com que a superfície não derreta. Ao mover-se sobre o gelo, o ar arrefece, cai na "armadilha", afunda-se e cria uma camada de ar frio que mantém a superfície gelada.

Esta fotografia é na verdade composta por cinco imagens diferentes tiradas por uma câmara da Mars Express, cada uma delas capturadas de uma trajetória diferente.

Esta cratera deve o seu nome ao engenheiro espacial Sergei Korolev, considerado o pai da tecnologia espacial soviética, e está situada no pólo norte do planeta vermelho.

A cratera Korolev é fundamental na investigação de um grande mistério sobre Marte que ainda intriga os cientistas: para onde vão as enormes reservas de água do planeta? Isto porque os  investigadores acreditam que já houve rios, lagos e oceanos de água em estado líquido na superfície do mar vermelho, que entretanto evaporaram e apenas uma parte foi conservada em grandes poças e reservatórios de gelo subterrâneos, como este que existe na Korolev.