Os vídeos divulgados pela princesa Latifa, que acusa o pai de a manter refém após uma tentativa de fuga, voltaram a centrar as atenções (e suscitar alguma curiosidade) em torno do emir do Dubai. Mas, afinal, o que se sabe sobre o pai da "princesa refém"?

Mohammed bin Rashid Al Maktoum, de 71 anos, é um dos chefes de estado mais ricos do mundo. Governa o Dubai há 14 anos (sendo o principal impulsionador da sua modernização) e é vice-presidente dos Emirados Árabes Unidos.

Como líder, foi um dos responsáveis pela transformação económica do emirado, ajudou a lançar empresas como a companhia aérea Emirates e apostou na construção do mais alto arranha-céus de sempre, o Burj Khalifa.

O emir construiu uma cidade de enorme sucesso, mas os ativistas de direitos humanos denunciam que não há tolerância para a dissidência política e que o sistema judicial discrimina as mulheres.

A verdade, é que por detrás de toda a excentricidade do emir, esconde-se uma complicada vida familiar.

Os escândalos familiares

Mohammed bin Rashid Al Maktoum casou-se seis vezes e tem 30 filhos. A sua primeira mulher, considerada a oficial, é a sua prima direta. A primeira-dama do Dubai é mãe de 12 dos seus filhos, incluindo o príncipe herdeiro Hamdan bin Mohammed Al Maktoum.

No entanto, esta não é a primeira vez que o emir se vê envolto em escândalos familiares: em causa estão os desaparecimentos das princesas Shamsa (em 2000) e Latifa (em 2018), que foram raptadas por ordem do regime dos Emirados Árabes Unidos e enviadas à força de volta para o Dubai.

Também as acusações feitas em 2020 pela princesa Haya, a sexta mulher do emir do Dubai e filha do rei da Jordânia, não abonam a seu favor.

Em 2019, a princesa Haya divorciou-se de Mohammed bin Rachid al-Maktoum e refugiou-se no Reino Unido, país ao qual pediu proteção, alegando ser alvo de violência por parte do regime. De acordo com a imprensa, o emir desconfiava que a princesa tivesse uma relação extraconjugal com um guarda-costas.

Veja também:

A paixão pelos cavalos e as ligações ao ocidente

Os Emirados Árabes Unidos têm relações estreitas com vários países ocidentais, incluindo os Estados Unidos e o Reino Unido, que os consideram um aliado estratégico.

Mas para muitos ao redor do mundo, o nome do emir é sinónimo de corrida de cavalos e criação de puro-sangue.

Cavaleiro experiente e atleta da modalidade desde jovem, Mohammed é dono da Darley Stud - a maior empresa de criação de cavalos do mundo.

Com quintas no Reino Unido, Irlanda, Inglaterra e Austrália, é conhecido por ter um olho para os vencedores. Razão essa para o emir "misturar-se" com os mais elevados escalões da sociedade britânica e frequentemente é visto com a rainha no camarote real em Ascot.

Mas as ligações não se ficam por aqui: o Dubai está intimamente ligado ao Reino Unido pela venda de armas de empresas britânicas. Os Emirados Árabes Unidos são um dos maiores clientes de armas do Reino Unido, de acordo com a Campanha Contra o Comércio de Armas.

Rafaela Laja