O primeiro-ministro italiano, Mario Draghi anunciou esta quinta-feira que Itália vai retomar a vacinação contra a covid-19 com o produto da AstraZeneca a 19 de março, depois de uma decisão favorável da Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla original).

Itália foi um dos muitos países que interromperam de forma total a vacinação com AstraZeneca na sequência de alguns casos de alergias graves e tromboses em pessoas vacinadas. Agora torna-se no primeiro a anunciar a retoma da vacinação.

O governo italiano acolhe a decisão da EMA sobre a vacina da AstraZeneca. A administração com AstraZeneca será retomada já amanhã (19 de março). A prioridade do governo mantém-se em dar o maior número de vacinas no menor tempo possível", afirmou Mario Draghi.

Precisamente em Itália morreram três pessoas poucos dias após terem sido vacinadas com AstraZeneca.

Apesar disso, o país segue a recomendação da EMA, que vê "segurança e eficácia" na vacina.

A decisão anunciada por Mario Draghi foi depois confirmada pela agência do medicamento de Itália (Aifa), que reuniu com os especialistas e com o ministro da Saúde, tendo corroborado a decisão da EMA, e levantado a suspensão da vacina.

Em reação às declarações da EMA, o Ministério da Saúde de Espanha propôs a retoma da vacinação com AstraZeneca a partir da próxima semana. Esta recomendação surgiu depois de uma reunião com o Conselho de Saúde Interterritorial. Em conferência de imprensa posterior, as autoridades de saúde acolheram a recomendação, confirmando o regresso da vacinação na próxima semana.

Ainda mais concreto foi o primeiro-ministro francês, Jean Castex, que não só anunciou a retoma da vacinação com AstraZeneca para esta sexta-feira, como afirmou que iria ser inoculado com aquela mesma vacina na tarde desse mesmo dia.

Jean Castex vai vacinar-se sexta-feira com a vacina AstraZeneca para demonstrar que o fármaco é de confiança após a segunda luz verde das autoridades sanitárias europeias, enquanto os números da pandemia continuam a subir.

O anúncio da vacinação do primeiro-ministro deve acontecer perante as câmaras de televisão, para reforçar a confiança dos franceses nesta vacina após alguns dias de dúvida devido aos casos de trombose em diferentes países europeus.

Mais tarde, a Alemanha também anunciou o regresso à vacinação com AstraZeneca.

Já depois da decisão italiana, também Bulgária, Chipre, Letónia e Lituânia anunciaram a retoma da vacinação com AstraZeneca.

Mais tarde, Portugal tornou-se no quarto país a anunciar a retoma da vacinação com AstraZeneca.

António Guimarães