Em maio de 2017, passavam dez anos do desaparecimento de Maddie McCann na Praia da Luz, Christian Brueckner estava num bar com um amigo, algures em território alemão. Na televisão, passava uma peça que recordava o 10.º aniversário do crime. Provavelmente por já ter bebido demasiado, Brueckner disse ao companheiro que sabia tudo sobre o desaparecimento de Maddie, praticamente admitindo que tinha tido um papel no desenrolar dos acontecimentos.

Depois desta conversa, escreve esta quinta-feira o jornal britânico Daily Mail, o alemão mostrou ao amigo um vídeo em que violava uma mulher. 

Terá sido esta atitude de Brueckner a fazer soar os alarmes: o amigo terá feito chegar as informações às autoridades, mas até agora não se sabe porque demorou a polícia a levar em conta as suspeitas que recaíam sobre o alemão, que até tinha estado em Portugal na data do desaparecimento de Maddie. 

O suspeito alemão também terá debatido pormenores do caso da criança britânica desaparecida no Algarve numa conversa num chat online, que foi levada à atenção das autoridades portuguesas, mas só anos mais tarde foi possível constituir Brueckner como suspeito formal. Registos telefónicos colocam o homem na área da Praia da Luz no dia em a criança inglesa desapareceu. 

suspeito de ter sequestrado e assassinado Madeleine McCann foi esta quinta-feira identificado pela imprensa britânica e alemã. Christian Brueckner, um homem de 43 anos, está detido na Alemanha a cumprir uma pena de sete anos de prisão por violação de uma norte-americana em Portugal. O crime remonta a 2005.

Segundo as últimas informações, Brueckner, que passou mais de uma década a viver em Portugal e saiu do país pouco tempo depois do desaparecimento de Maddie, chegou ao Algarve em 1995 com 18 anos, dizendo à família que trabalhava em catering e como "faz tudo" quando, na verdade, sobrevivia a traficar estupefacientes e a assaltar hotéis e casas de férias.

Regressou à Alemanha, onde cumpriu pena por abusos sexuais de menores antes de viajar para Itália, onde foi detido devido a um mandado de detenção europeu, pela violação de uma turista norte-americana de 72 anos na Praia da Luz. 

O Ministério Público alemão já revelou que tem a convição de que Madeleine McCann está morta e está a investigar o suspeito por um crime de homicídio.

  
Bárbara Cruz