A vacina da Pfizer contra a covid-19 é desaconselhada a menores de 16 anos, grávidas e mulheres a amamentar. A recomendação é da própria farmacêutica e consta da bula que está a ser distribuída no Reino Unido, onde a vacinação começou a 8 de dezembro.

A Pfizer diz que a vacina ainda não foi testada em nenhum destes grupos e apela às mulheres que a tomem para esperarem dois meses antes de engravidar.

O alerta inclui também as pessoas com problemas alérgicos graves, que podem ficar com falta de ar e inchaços, e aqueles que tomam medicação anticoagulante ou de reforço do sistema imunitário.

Neste ponto, recorde-se que já foram detetados casos de reações alérgicas graves em três pessoas, duas no Reino Unido e uma nos Estados Unidos.

A farmacêutica diz ainda que a vacina deve ser tomada em duas doses, com 21 dias de intervalo, e que só deverá começar a produzir efeitos uma semana depois da administração da segunda dose. Alerta-se igualmente para os perigos de tomar duas vacinas diferentes, já que os efeitos são ainda desconhecidos.

Os principais efeitos secundários da vacina da Pfizer, detetados em mais de dez por cento daqueles que a tomaram, são dores de cabeça ou musculares, arrepios, febre, fadiga, cansaço, náusea e dores nas articulações.

João Faria