Passaram 50 anos desde aquele outubro em 1971. Espanha está hoje em situação de alarme por causa da erupção na ilha de La Palma, na costa noroeste da África. Um fenómeno que ocorre menos de uma semana desde o início de uma crise sísmica que afetou a ilha com milhares de abalos - o mais grave atingiu uma magnitude de 3.8 no domingo.

Os fluxos de lava estão a descer há horas das encostas do vulcão e avançam a aproximadamente 700 metros por hora, com uma temperatura de 1.075 graus Celsius, de acordo com o Instituto Vulcanológico das Canárias.

Cinco mil pessoas foram retiradas de suas casas, num momento em que o rio de lava está a afetar as habitações mais perto do local da erupção, tendo já consumido pelo menos 20 casas e afetado uma centena.

De acordo com o Instituto Vulcanológico das Canárias, é esperado que a erupção vulcânica dure “entre várias semanas a meses". De acordo com o diretor do Instituto, Nemedio Pérez, a duração dependerá da quantidade de magma que ficou no "reservatório" do vulcão, que estava adormecido desde 1971. 

Era esperada uma erupção?

No dia 11 de setembro, uma série de sismos foram registados na na zona sudoeste da ilha de La Palma e, nessa altura, cientistas e investigadores colocaram a possibilidade de que o magma estivesse a “empurrar a superfície”, provocando um enxame sísmico. 

Estes abalos, que antes eram registados a 20 quilómetros de profundidade, passaram a ser sentidos a cem metros nos dois últimos dias, levando a que os especialistas considerassem cada vez mais preponderante a tese de uma erupção em larga escala - na manhã deste domingo, a ilha tinha ampliado 15 centímetros.

 

Quantos portugueses estão em La Palma?

De acordo com a secretária de Estado para as Comunidades Portuguesas, há oito portugueses nos três municípios afetados identificados pelas autoridades.

Nenhum deles sofreu qualquer ferimentos, afirmou Berta Nunes que explicou que o nosso cônsul honorário em La Palma está em permanente contacto com as autoridades locais. “Sabemos que se houver algum português com problemas, seremos imediatamente alertados”, disse a governante à TVI24. 

Porque é que está a ocorrer agora?

A erupção em La Palma acontece a sensivelmente um mês de se cumprirem 50 anos desde a última vez que um vulcão exibiu atividade eruptiva em Espanha. No dia 20 de outubro de 1971, sentiram-se terremotos, cuja intensidade foi aumentando gradualmente, o que alertou os moradores e levou as autoridades a implantar medidas de proteção civil. A erupção começou às 16:25 do dia 26 de outubro de 1971 e durou até 18 de novembro daquele ano. 

Foi uma erupção relativamente curta. Na verdade, no historial das Ilhas Canárias, foi das mais curtas que há registo, especialmente quando comparada com a erupção que durou seis anos no século XVIII na zona do Parque Nacional de Timanfaya, em Lanzarote.

Desde então, a atividade sismo-vulcânica esteve suspensa até existir uma reativação em 2017 e várias sequências sísmicas nos anos seguintes, ainda que nenhum tenha registado a mesma energia dos desta semana. A união entre a força telúrica derivada do movimento da corrente elétrica no subsolo e a deformação repentina do terreno - pense-se nos 15 centímetros - antecipavam a realidade de uma erupção.


 

Libertação de dióxido de enxofre. Qual a dimensão e quais os perigos?

O Instituto Vulcanológico das Canárias fez uma primeira estimativa sobre a quantidade de dióxido de enxofre (SO2) emitido para a atmosfera no primeiro dia de erupção e o que se prevê para os dias seguintes. Supõe-se que o fenómeno liberte entre 6 mil e 9 mil toneladas diariamente. 

 

 

 

 

A emissão de dióxido de enxofre pode causar dificuldade respiratória, ou agravamento de doenças respiratórias, cardiovasculares. Efeitos que podem ser reconhecidos através de irritações no nariz, garganta e pulmões. 

Quantos terremotos ocorreram antes da erupção?

De acordo com o Instituto Geográfico Nacional, cerca de 7 mil tremores de terra de pouca magnitude e intensidade fraca foram sentidos até à erupção desde domingo. No entanto, a diretora do Instituto explica que a intensidade culminou com um fenómeno “muito energético” nos últimos dias, tendo libertado mais força do que os dois meses de erupção subaquática de El Hierro, em 2011.

As autoridades locais já iniciaram a evacuação de vários bairros dos municípios de El Paso, Los Llanos de Aridane e Tazacorte, em antecipação ao avanço da lava.

A Guardia Civil mobilizou mais de 120 agentes, de diferentes unidades, para fazer face à situação.

As autoridades referem que há várias estradas afetadas pela erupção, estando algumas delas encerradas ao tráfego por precaução.

Desde o início da semana a ilha encontrava-se em alerta amarelo devido ao risco de erupção vulcânica na zona (nível 2 de 4).

La Palma, com 85 mil habitantes, é uma das oito ilhas do arquipélago das Canárias. No seu ponto mais próximo com África dista 100 quilómetros de Marrocos.

A ilha espanhola encontra-se a 460 quilómetros da ilha portuguesa da Madeira e 1.428 quilómetros da ilha do Sal (Cabo Verde).