O incêndio que consumiu a histórica Catedral de Notre-Dame, em Paris, foi completamente dominado e parcialmente extinto nove horas depois de começar, já madrugada dentro, pelas 03:30. Foi dado como totalmente extinto só durante a manhã desta terça-feira, passava já das 09:00 em Lisboa (10:00 em Paris), ou seja, cerca de 15 horas depois de as chamas terem deflagrado, eram 18:50 locais de segunda-feira (17:50 em Lisboa).

"Todo o fogo foi extinto", anunciou o porta-voz dos bombeiros de Paris, Gabriel Plus, dando conta e que o violento incêndio "propagou-se muito rapidamente através do telhado", numa área de 1.000 metros quadrados.

A fase que se segue agora é especializada e é por essa razão que um grupo de especialistas examina todas as estruturas para dar início às fases que se seguirão, ou seja, a consolidação"

Ao início da manhã de hoje, havia ainda pequenos focos de incêndio. 

"O perigo de incêndio foi eliminado", mas há "dúvidas sobre como a estrutura resistirá", admitiu o secretário de Estado do Ministério do Interior, o Laurent Nunez.

Questionado sobre o BFMTV, o governante disse ainda que se os bombeiros não tivessem entrado na catedral, "sem dúvida teria entrado em colapso".

Um incêndio desta magnitude tem um impacto significativo nas estruturas, por isso devemos ser capazes de garantir que estejam sempre estáveis. Por agora, a princípio, o objetivo é permitir que os operacionais possam voltar lá dentro. Fizeram-no na noite passada, com muita coragem (...) para evitar que [a catedral] entrasse em colapso. Sem essa ação, e com as suas vidas em risco, provavelmente teria entrado em colapso. Quero saudar mais uma vez a coragem e a determinação dos bombeiros que se comprometeram pondo a sua vida em risco".

MP investiga causa do incêndio

As causas do incêndio ainda não são conhecidas, mas tudo indica que estejam ligadas às obras de reconstrução que estavam em curso. O Ministério Público francês abriu uma investigação. 

A investigação foi confiada à diretoria regional da polícia judiciária francesa. O incêndio está a ser tratado como um acidente: "destruição involuntária pelo fogo"Os investigadores ainda não conseguiram fazer as primeiras perícias no local, uma vez que a estrutura do prédio está muito instável. 

Veja também:

Os polícias passaram parte da noite a identificar todas as pessoas que estavam a trabalhar na catedral e começaram a entrevistar algumas delas.

Um dos bombeiros ficou ferido enquanto enfrentava as chamas.

Veja também:

O que ficou a salvo, o que se perdeu

Ao final da noite de ontem, o presidente francês confirmou que a edificação principal foi "salva e preservada", mas a estrutura superior desabou. Restou apenas um terço do telhado.

Muitas obras de arte religiosa foram mantidas na catedral e não puderam ser removidas. Parte do tesouro foi salvo, assim como a coroa de espinhos, as vestes de Saint Loius e alguns cálices. Muitos vitrais permanecem intactos.

Veja também:

Emmanuel Macron prometeu reconstruir a catedral de Notre-Dame, lamentando a tragédia terrível para todos os franceses.

De acordo com o responsável da Arquidiocese de Paris, Dom Philippe Marsset, representantes dos monumentos históricos deslocaram-se a Notre Dame durante a noite para começar a estabelecer a lista das prioridades das obras a serem salvas.

Veja também:

"Majestoso e sublime edifício". Foi assim que escreveu, em 1831, o escritor francês Victor Hugo no seu romance “Notre-Dame de Paris”. A catedral, um dos edifícios icónicos de Paris e da arte gótica, foi construída em 1163 e iniciou a função religiosa em 1182. Neste 15 de abril de 2019, a História levou um rombo de valor incalculável. 

As homenagens sucedem-se: