Dois anos depois do brutal incêndio que devastou a catedral de Notre-Dame de Paris, as obras de restauro monumento ainda decorrem e a um ritmo mais lento por causa da pandemia.

A petição pública lançada para a restauração da catedral conseguiu reunir os fundos suficientes, com 833 milhões de euros em donativos, valor que permite “encarar o projeto com tranquilidade”, afirmou recentemente a ministra da Cultura de França.

Tranquilidade essa que atira a reabertura do monumento mundialmente famoso para o ano de 2024.

Recordamos que Emmanuel Macron, chefe de Estado francês, tinha pedido uma reconstrução em cinco anos da catedral ,cujo telhado e pináculo foram destruídos pelas chamas.

O representante de Macron para as obras, o general Jean-Louis Gorgelin, também assegurou que a catedral reabrirá em 2024 e que será celebrado um Te Deum em 16 de abril desse ano, mas nem todos os trabalhos necessários estarão concluídos nessa data.

As obras de Notre-Dame têm enfrentado vários imprevistos, desde a necessidade de adotar medidas contra a contaminação por chumbo até à crise do novo coronavírus, passando pelo mau tempo no final de 2019, mas foram retomadas no final de abril.

A 15 de abril de 2019, a catedral encontrava-se em obras de restauro no seu exterior quando deflagrou um violento incêndio que demorou cerca de 15 horas a ser extinto.

A origem acidental do incêndio, um curto-circuito, continua a ser privilegiada, embora a causa do fogo não esteja esclarecida.

Rafaela Laja