Afinal, Sebastião Bugalho não vai ser deputado do CDS-PP, sabe a TVI. Uma decisão que surge depois de o líder do Grupo Parlamentar do CDS, Telmo Correia, o ter anunciado como sucessor de Ana Rita Bessa. Assim, o processo de substituição da deputada volta novamente à estaca zero.

Numa nota enviada ao grupo parlamentar do CDS-PP, o comentador da TVI disse ter manifestado ao líder da bancada a sua indisponibilidade para assumir o lugar de deputado.

Já no Facebook, Sebastião Bugalho sublinhou ter sido uma “decisão difícil” para alguém que “não concebe função mais digna do que a de representante do povo”.

Explicou que “as circunstâncias políticas (do CDS)” e as suas circunstâncias profissionais “não só não são as mesmas que existiam” quando foi convidado a integrar as listas do partido, como atualmente “não se aparentam conciliáveis entre si”.

O nome que se segue na lista para integrar a representação centrista na Assembleia da República é o de Diogo Moura, líder da concelhia do CDS/Lisboa e recém-eleito vereador na capital pela coligação Novos Tempos, liderada por Carlos Moedas.

Ana Rita Bessa renunciou ao mandato, na terça-feira, com efeitos a partir de 4 de outubro. Ao que a TVI24 conseguiu apurar, a deputada vai fazer a sua última intervenção no plenário da Assembleia da República esta quinta-feira. 

Esta é a terceira saída na bancada democrata-cristã desde o início da legislatura, em 2019, depois de a antiga líder do CDS-PP, Assunção Cristas, ter sido substituída por João Gonçalves Pereira, que, por sua vez, quando saiu cedeu o lugar a Pedro Morais Soares.

Hugo Matias / CE - Notícia atualizada às 14:57