O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, disse esta terça-feira compreender a “agitação à esquerda à procura de um candidato” presidencial, mas salientou que a direita “tem um presidente”.

Numa conferência de imprensa na sede do CDS-PP sobre a disciplina de cidadania e desenvolvimento, o líder democrata-cristão foi questionado sobre os vários anúncios de candidaturas presidenciais à esquerda e sobre o ‘timing’ da decisão do seu partido.

Percebo esta agitação à esquerda à procura de um candidato, porque o que é verdade é que a direita não tem um candidato, mas tem um presidente: Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito com o apoio do CDS e do PSD”, afirmou.

Francisco Rodrigues dos Santos reiterou que o CDS aguardará pela “declaração individual” do atual chefe do Estado sobre a sua recandidatura, “se tiver essa intenção”.

Só depois reuniremos os órgãos próprios do partido e deliberaremos no sentido de apoiar ou não a candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa”, disse.

Questionado se o tempo apontado pelo atual Presidente da República para falar sobre este tema, o mês de novembro, não poderá ser tardio para os partidos de centro-direita, o líder do CDS-PP lembrou que essa é uma decisão pessoal e não partidária.

Os ‘timings’ para uma declaração de candidatura não são definidos pelos partidos, mas pelos candidatos e como a direita tem um presidente aguardará para que ele mesmo tome uma decisão sobre a sua recandidatura”, repetiu.

Esta semana serão apresentadas as candidaturas a Presidente da República da eurodeputada do BE, Marisa Matias, na quarta-feira, da antiga eurodeputada socialista, Ana Gomes, na quinta-feira, enquanto o PCP remeteu para sábado o anúncio do nome do candidato do partido.

/ BC