Os testes rápidos ilimitados à covid-19 vão continuar gratuitos, na cidade de Lisboa, nas farmácias aderentes, até ao final de 2021. A decisão já foi tomada pelo novo presidente da Câmara Municipal Lisboa (CML), Carlos Moedas, e a informação foi confirmada à TVI por fonte oficial da autarquia.

Recorde-se que Fernando Medina, antes de deixar a câmra, no final de setembro, tinha garantido a continuidade do programa até ao final de Outubro. Ressalvando que a continuidade, após essa data, teria de ser decidida pelo vencedor das eleições autárquicas na capital do país, Carlos Moedas.

Recorde-se que o Governo decidiu terminar a comparticipação dos testes a 100% pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) a 30 de setembro. E a autarquia de Lisboa, na altura, ainda com Fernando Medina, decidiu dar continuidade ao protocolo, com as 129 farmácias aderentes.

O protocolo com as farmácias deverá manter-se nos mesmos moldes que tinha, mas a TVI não conseguiu confirmar os valores envolvidos. Segundo o Público noticiou no final de setembro, a CML pagava 15 euros por cada teste. Também em setembro, o jornal Observador avançou que desde abril o município gastava cerca de 31 mil euros, por dia, nos testes rápidos à covid-19. Tinham sido quatro milhões de euros entre abril e julho.

Lisboa deu início aos testes gratuitos no início de Março deste ano e depois de, inicialmente, estar limitado a moradores de algumas freguesias, com apenas dois testes mensais gratuitos, estes acabaram por se tornar ilimitados e foram alargados a pessoas também não residentes na capital, mas aqui estudassem ou trabalhassem.
 

Patrícia Pires