Adriano Maranhão, o português de 41 anos que está infetado com coronavírus e a bordo de um navio no Japão, falou este domingo aos jornalistas por videochamada, confessando que ficou "em choque" quando soube do diagnóstico mas garante que está "bem"  e que continua isolado numa cabine. 

"Dentro do navio ainda não me transmitiram nada", disse aos jornalistas o português. "Sei que vou ser deslocado para um hospital, mas não sei para onde, nem quando", explicou. 

"A única coisa que sinto é o corpo cansado , não sei se da doença se do stress da situação" , confessou. 

 

Adriano Maranhão revelou que há mais três portugueses a bordo do Diamond Princess e que jantava sempre com dois deles, que também foram sujeitos a testes para despistar o coronavírus mas que, até agora, ainda não lhes foram comunicados quaisquer resultados. "Os outros portugueses estão bem, mas ansiosos e receosos", admitiu, garantindo que aguarda por um "desfecho feliz". 

Entretanto, a DGS informou que os outros tripulantes deram negativo nos testes para coronavírus e não estão infetados

"Para já, não penso que a doença me vá deitar abaixo", sublinhou, admitindo que preferia fazer tratamento e quarentena em Portugal. "Os hospitais japoneses estão um caos", disse. 

A mulher de Adriano Maranhão, Emanuelle Maranhão, já disse que lhe foi comunicado pelo Governo português que o marido terá de receber tratamento no Japão e que não será feito o repatriamento do doente. 

As autoridade japonesas confirmaram este domingo que o português Adriano Maranhão, canalizador no navio Diamond Princess, atracado no porto de Yokohama, teve teste positivo para coronavírus Covid-19, disse à Lusa fonte oficial do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Foi confirmado pelas autoridades de saúde japonesas que a pessoa em causa deu teste positivo. A família está informada, assim como o próprio”, revela fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros numa nota enviada à agência Lusa.

De acordo com a mesma fonte, o ministério está a “insistir junto das autoridades locais para que se proceda à sua transferência para o hospital de referência”, no Japão.

Estar assintomático "é positivo"

A diretora-geral da Saúde deixou uma “palavra de tranquilidade” ao português a bordo do navio Diamond Princess, no Japão, e que deu teste positivo ao coronavírus Covid-19, salientando que o facto de “estar assintomático” é bom indicador.

Temos de estar tranquilos e pensar que este senhor, para bem dele, e ainda bem, este nosso concidadão, ate à data não apresenta sintomas, vamos aguardar para ver a evolução, mas estar assintomático é, por enquanto, positivo”, disse Graça Freitas em declarações à agência Lusa.

Graça Freitas explicou que as autoridade de saúde japonesas “estão a retirar as pessoas do navio para hospitais de referência no Japão de acordo com os sintomas e a situação clínica”.

No caso concreto deste senhor, e de outros passageiros e tripulantes que se encontram a bordo e assintomáticos, há um critério de prioridade. A indicação que há nestas situações é para isolamento e ficar em vigilância para ver se os sintomas evoluem ou não evoluem”, explicou a responsável.

/ BC