O restaurante Lapo, em Lisboa, voltou a não cumprir as regras de estado de emergência e abriu para uma festa na quinta-feira à noite. 

O dono do restaurante partilhou nas redes sociais fotografias e vídeos do evento, que tinha sido anunciado no Instagram, invocando o artigo 45º da constituição portuguesa, o "direito de reunião e de manifestação". O vídeo mostra várias pessoas, incluindo crianças e idosos, sem distanciamento nem máscaras. Também se pode ouvir o dono do restaurante a discursar e várias pessoas a cantar "Grândola vila morena".

A polícia recebeu uma denúncia e dirigiu-se ao local, onde "procedeu à identificação e respetivo levantamento de 13 autos de contraordenação aos cidadãos que ali se encontravam, em violação do dever de recolhimento obrigatório", de acordo com o comunicado do Comando Metropolitano de Lisboa.

O restaurante encontrava-se encerrado mas a polícia abordou as pessoas à saída.

Esta é a terceira vez no espaço de um mês que a PSP tem de intervir neste local: o restaurante foi "encerrado coercivamente" pelas autoridades a 15 de janeiro, enquanto decorria uma festa; e depois no dia 27 a polícia teve de mandar dispersar um grupo de pessoas que se encontravam à porta do Lapo, alegadamente a participar numa manifestação.

A PSP garante que "continuará a atuar em situações de incumprimento das restrições do Estado de Emergência e a participar às autoridades competentes em conformidade com o previsto na lei".

Maria João Caetano