A PSP ainda está a "averiguar" se os três homens que fugiram ontem, quinta-feira, do Tribunal de Instrução Criminal do Porto estavam algemados quando se evadiram, o que aconteceu depois de lhes ter sido decretada a prisão preventiva na sequência de mais de 30 roubos a casa de idosos. Uma coisa parece certa: algo falhou para que conseguissem pôr-se em fuga. A polícia assume tratar-se de uma "falha grave".

Por termos identificado essa falha [saltaram da janela do segundo andar], por ter acontecido é que estamos a averiguar. Estamos também a averiguar o que se passou no Tribunal. A falha que houve é grave e vamos identificá-la e depois tirar conclusões.".

À TVI24, o subintendente da PSP Alexandre Coimbra disse ainda que os suspeitos continuam a monte, "a prioridade é capturá-los", sendo que está também então a ser feita um apuramento interno das circunstâncias em que fugiram, "os protocolos que foram ou não seguidos". 

Sobre se os homens chegaram a apanhar um táxi, adiantou que a PSP "não tem ainda essa informação relativamente a um taxista ou outro meio de fuga". São, mais uma vez, "situações a ser investigadas".

Os três homens - os dois gémeos Fernando e Emanuel Santos,com 34 anos, e o cúmplice, Hugo Saraiva (conhecido como Shevchenko), com 20, e sobrinho destes dois - "não fugiram armados, eventualmente poderão ter tido acesso a armas", sendo que tiveram dificuldade em passarem despercebidos por entre a multidão.

O Tribunal de Instrução Criminal é na Baixa do Porto. Foi fácil para eles dissimularem-se entre as pessoas e o ambiente.".

Veja também:

Alexandre Coimbra fez notar que ainda "é prematuro" dizer que tiveram cúmplices. "Há vários cenários em cima da mesa". Também defendeu que não se deve "especular" se tinham as chaves da cela com eles. É algo que também se está a averiguar.

O subintendente voltou a apelar a quem tenha informações e  que os possa ter visto, que contacte a PSP e divisão criminal do Porto: "informação concreta e válida eventualmente sobre a localização" destes indivíduos.

As outras forças e serviços de segurança, bem como os centros de cooperação policial e aduaneira, nas fronteiras, estão coordenadas com a PSP. As imagens dos três homens têm sido divulgadas amplamente na comunicação social. A PSP também promete divulgá-las nos seus canais.

Os três homens já tinham antecedentes criminais. Dedicavam-se ao roubo a residências de pessoas idosas. "Escalavam as moradias ou entravam de forma dissimulada. Essa investigação terminou bem, foram responsáveis por mais de 30 assaltos a residências", resumiu o subintendente, frisando que serão levados novamente à justiça quando foram apanhados.

/ VC