Salvas de tiros de canhão foram disparadas ao meio-dia em todo o Reino Unido em homenagem ao príncipe Philip, marido da rainha Isabel II, que morreu na sexta-feira aos 99 anos.

A partir da Torre de Londres, das margens do rio Tamisa, dos castelos de Edimburgo ou de Belfast, do enclave britânico de Gibraltar, dos navios da Royal Navy, onde serviu durante a II Guerra Mundial, o som dos canhões ecoou às 12:00 (11:00 TMG) para a primeira de 41 salvas.

O duque de Edimburgo, príncipe consorte da Rainha Isabel II, morreu na sexta-feira aos 99 anos

Veja também:

O príncipe, que ia completar 100 anos em 10 de junho, tinha saído recentemente do hospital, onde foi submetido a uma intervenção cirúrgica a problemas cardíacos, e regressado ao Palácio de Windsor.

Conhecido pelo seu sentido de humor particular, Philip, nascido com o título de príncipe da Grécia e da Dinamarca, é o consorte mais antigo da história da monarquia britânica.

Depois de ter servido na Marinha durante a Segunda Guerra Mundial, casou-se em 20 de novembro de 1947 com a então princesa Isabel, filha do rei George VI.

Como consorte mais antigo da Grã-Bretanha, Philip realizou mais de 22.000 compromissos públicos individuais e muitas vezes se descreveu de forma bem-humorada como "o inaugurador de placas mais experiente do mundo".

Afastou-se das funções públicas em 2017 e tornou-se cada vez mais raro vê-lo em público, exceto quando participava em grandes eventos familiares.

/ CM