O Presidente da República admitiu que o Governo pode, esta quinta-feira, agravar as medidas do estado de emergência, devido ao crescimento de casos de covid-19.

Questionado no debate com André Ventura sobre a renovação do estado de emergência, que entra em vigor à meia-noite e até 15 de janeiro, Marcelo Rebelo de Sousa mostrou um tom diferente dos últimos dias, passando a admitir um “agravamento”.

“O Governo irá ponderar se é de manter a ideia originária de ser um estado de emergência intercalar, ou se é preciso agravar o estado de emergência. Vamos ver. A ideia era esperar pelo dia 15…”

A renovação do estado de emergência, que foi aprovada ontem, tinha o horizonte de apenas oito dias, para dar tempo para perceber o reflexo do Natal e do Ano Novo nos números e para ouvir os especialistas novamente, na reunião do próximo dia 12.

No entanto, com o recorde de novos casos diários batidos esta quarta-feira e também as palavras da ministra da Saúde, Marta Temido, que admitiu que a situação exigia “mecanismos excecionais”, é de esperar que o Governo apresente hoje novas medidas, para tentar conter a propagação do vírus.

Vários especialistas ouvidos ao longo do dia de ontem afirmaram que o reflexo do período de Festas exige agora uma intervenção mais dura em termos de medidas, tal como está a acontecer noutros países, e alguns defendem mesmo um novo confinamento.

Catarina Pereira