O pai e a madrasta de Valentina colocaram a roupa da menina a lavar enquanto decorriam as buscas, sabe a TVI

O primeiro alerta que levantou suspeitas às autoridades policiais foi o facto de a Polícia Judiciária ( PJ) ter sabido que Sandro Bernardo e Márcia Monteiro tinham colocado roupa da menina de nove anos a lavar numa empresa da especialidade.

A descoberta policial aconteceu de forma casual, quando o casal foi intercetado numa operação vulgar de controlo de trânsito.

Nessa abordagem, a madrasta de Valentina foi multada em 500 euros por não ter seguro e, mais tarde, a PJ percebeu que os dois suspeitos regressavam de uma lavandaria, onde tinham colocado a lavar roupas da criança dada, então, como desaparecida.

A TVI sabe que este terá sido o momento que fez com que as atenções da investigação se focassem no casal. 

Sandro Bernardo e Márcia Monteiro foram entretanto colocados em prisão preventiva, acusados do homicídio de Valentina. A TVI sabe que a madrasta da criança, que está detida em Tires a aguardar julgamento, tem tido bom comportamento na prisão e já falou sobre episódios de violência doméstica de que terá sido vítima por parte de Sandro. Ligou também ao ex-companheiro para tentar falar com o filho de 12 anos, que terá sido testemunha das agressões que levaram à morte de Valentina

Miguel Fernandes