José Maria Ricciardi reagiu, durante a madrugada desta quinta-feira em direto na SIC Notícias, às declarações de Mariana Mortágua no programa, da TVI24, “Aos Olhos da Lei”.

O ex-banqueiro do Banco Espírito Santo de Investimento (BESI) classificou as palavras da deputada do Bloco de Esquerda como “acusações chocantes e gratuitas”.

Alinha pelas mesmas teses do dr. Ricardo Salgado e aproveita as facilidades da comunicação social para proferir um chorrilho de disparates”, atacou Ricciardi.

Ricciardi apontou para um alegado aproveitamento de Mariana Mortágua do papel de destaque que conquistou entre a comunicação social.

É altura de as pessoas perceberem a importância excessiva que se dá a esta figura [Mariana Mortágua] que melhor faria se se reduzisse de vez ao silêncio”, disse o ex-vice-presidente do BES.

 

José Maria Ricciardi acusou a deputada de colocar em causa o trabalho do Ministério Público e disse que não admite “este tipo de acusações”

Não admito este tipo de acusações gratuitas na televisão que, ainda por cima, põem em causa o trabalho feito pelo Ministério Público ao longo de seis anos”, referiu.

O ex-administrador da Banco Espírito Santo de Investimento (BESI) reiterou que Mortágua ”acha-se a nova dona disto tudo”.

Essa senhora devia ter vergonha e devia era desaparecer de vez”, culminou Ricciardi.

A reação de José Maria Ricciardi surge depois de Mariana Mortágua ter questionado a inocência e idoneidade do primo de Ricardo Salgado no processo do Caso BES/GES.

A deputada do Bloco de Esquerda reiterou que uma pessoa com o antigo cargo de Ricciardi (vice-presidente do BES), facilmente, poderia ter tido acesso às irregularidades que ocorriam banco, se assim o desejasse.

Uma pessoa naquela posição só não sabe porque não quer”, garantiu a deputada.

Mortágua lembrou ainda que o ex-administrador nunca foi implicado no processo e é considerado inocente, mas que o ex-banqueiro “recebeu todo o seu dinheiro, através da ESI (Espírito Santo Internacional), e que fez as transferências através de um veículo, nas Ilhas Virgens Britânicas”.

Ricciardi nunca foi implicado em nenhum processo, mas recebeu o seu dinheiro”, destacou a Mariana Mortágua.

Mariana Mortágua já tinha comentado o caso BES/GES na TVI24. Numa primeira reação à acusação, a deputada bloquista disse que quando se olha para o processo parece que "existiam grupos económicos que se comportavam como uma máfia".

A figura de destaque do Bloco de Esquerda alertou ainda que, se forem analisadas "as pontas soltas", poderão ser encontradas também ligações ao governo de Angola e ao regime da Venezuela, bem como aos casos de Vale do Lobo e Rodrigo Battaglia, no âmbito da Operação Marquês.

O caso do BES não é uma agulha no palheiro. O caso do BES mostra-nos como a economia portuguesa está", evidenciou Mariana Mortágua.

Nuno Mandeiro