A Coreia do Norte decidiu suspender todas as rotas aéreas e ferroviárias com a China a partir desta sexta-feira, para impedir a propagação do coronavírus de Wuhan, disse o embaixador britânico em Pyonyang, Colin Crooks.

A Coreia do Norte introduz mais restrições de viagens com todos os voos e comboios entre a DPRK [sigla em inglês para República Popular Democrática da Coreia]) e a China a serem suspensos a partir de 31 de janeiro [hoje] em resposta ao coronavirus", escreveu o diplomata na rede social Twitter.

Essa nova medida soma-se às ativadas nos últimos dias pelo país asiático para evitar o contágio.

Em 22 de janeiro, o regime norte-coreano cancelou todas as viagens turísticas ao país e seis dias depois anunciou que todos os que chegassem da China ficariam em quarentena por um mês, embora se acredite que o período máximo de incubação do vírus são 14 dias.

O novo coronavírus já causou 213 mortos e infetou 9.692 pessoas, levando a Organização Mundial da Saúde a declarar a epidemia emergência de saúde pública internacional.

A OMS declarou emergência de saúde pública internacional o surto do novo coronavírus na China, que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

Para a declarar, a OMS considerou três critérios: uma situação extraordinária, o risco de rápida expansão para outros países e que exija resposta internacional coordenada.

Esta é a sexta vez que aquela organização declara emergência de saúde pública internacional.

A OMS opôs-se à restrição de viagens, apesar de o surto do novo coronavírus na China ser uma emergência de saúde pública internacional. Não obstante, o Governo italiano suspendeu todos os voos provenientes ou com destino à China depois de confirmados dois casos no país do novo coronavírus.

Além da China e dos territórios chineses de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos confirmados do novo coronavírus em 23 outros países - Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Itália, Austrália, Finlândia, Emirados Árabes Unidos, Camboja, Filipinas, Índia, Sri Lanka, Reino Unido, Rússia e Suécia.

Os Estados Unidos e o Japão retiraram parte dos seus concidadãos de Wuhan. Portugal vai igualmente repatriar cidadãos da mesma cidade chinesa, juntamente com outros países europeus.

Várias companhias aéreas decidiram suspender ou reduzir os seus voos para a China continental face à propagação do novo coronavírus (família de vírus que pode causar pneumonia viral).

A Rússia anunciou na quinta-feira a intenção de fechar 4.250 quilómetros de fronteira com a China e o Cazaquistão ordenou o encerramento das ligações em autocarro, avião e comboio com o mesmo país vizinho.

/ CE