"R-E-S-P-E-C-T". E serve o refrão dessa intemporal canção - composta por Otis Redding, que a desaparecida rainha da música soul Aretha Franklin interpretou como ninguém - para se pedir um mínimo respeito pelos que não completaram o ano de 2018. Em particular, por Amal Hussain, a menina de sete anos, a quem nem 15 minutos de fama valeram: foi o rosto da crise humanitária no Iémen, na península arábica, um dos muitos locais do planeta onde milhares continuam a sucumbir, sem que lhes valham os insistentes apelos e alertas, por exemplo, do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Mas, se no mundo de fama não cabem, por regra, os milhões de refugiados, sobrevivam ou morram, ou os milhares que se afogaram este ano a tentar atravessar o Mediterrâneo, ficámos com o registo de outros que morreram em 2018 e se preocuparam com os destinos dos seus semelhantes. Cada qual, à sua maneira. Inevitavelmente.

Arnaut: socialista, maçon e criador do SNS

Luto nacional, a 22 de maio, assinalou a morte na véspera do advogado, oposicionista ao Estado Novo de Salazar e Caetano e antigo ministro dos Assuntos Sociais, em 1978, do episódico Governo sustentado durante sete meses numa aliança entre PS e CDS. António Arnaut tinha 82 anos. Fora fundador do PS, em 1973, e, sendo maçon, seria até Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano, entre 2002 e 2005. Dele, António Costa, primeiro-ministro, disse que será recordado para a "eternidade" como "o pai" do Serviço Nacional de Saúde (SNS), resistente à ditadura e militante socialista "honrado". 

Na ala dos socialistas da política portuguesa, 2018 viu desaparecer alguns "compagnons de route", casos de Edmundo Pedro e Fernando Antunes da Costa. Ideologicamente, mais à esquerda, foram-se os bloquistas e médicos João Semedo e Helena Lopes da Silva.

Outros óbitos na política, sociedade e diplomacia:

Patrões de empresas e fortunas

O quinto mais rico de Portugal era, segundo a revista Forbes, Pedro Queiroz Pereira, de 69 anos, dono da Navigator (antiga Portucel) e da cimenteira Secil: morreu a 19 de agosto. O ano foi também fatal para outros empresários, portugueses - caso de Fernando Lobo Guedes, presidente da Sogrape, que tinha 87 anos - e estrangeiros, como Carlo Benetton, o mais novo dos irmãos fundadores da marca de moda italiana com o nome da família, que morreu aos 74 anos.

Outros óbitos no mundo empresarial:

Hawking, o desafiador da ciência e da doença

Britânico, sofrendo de esclerose lateral amiotrófica desde os 21 anos, Stephen Hawking morreu aos 76, em Cambridge, Reino Unido. O seu trabalho na área da relatividade e dos buracos negros fez dele o mais importante físico desde Albert Einstein.

Outros óbitos no mundo da ciência:

  • Alan Bean - astronauta norte-americano (86 anos) - 26 de maio
  • Odette Ferreira - investigadora do VIH/SIDA (93 anos) - 7 de outubro
  • Paul Allen - cofundador da Microsoft (65 anos) - 15 de outubro
  • Osamu Shimomura - químico e biólogo marinho japonês vencedor do Nobel de Química em 2008 (90 anos) - 19 de outubro
  • Colin Kroll - fundador do HQ Trivian e do Vine (35 anos) - 16 de dezembro
  • Ricardo Seabra Gomes - cardiologista, responsável pela primeira angioplastia coronária em Portugal (74 anos) - 24 de dezembro

A morte sanguinária de Jamal Kashoggi

No final do ano, o mundo foi confrontado com a morte bárbara do jornalista saudita Jamal Kashoggi, colunista do jornal norte-americano Washington Post, crítico do regime reinante no seu país de origem e que terá sido cortado e desmembrado ainda vivo no interior do consulado em Istambul. 

As mortes de jornalistas, em circunstâncias mais do que suspeitas, levaram a influente revista norte-americana Time, a elegê-los como “Personalidade do Ano”, por terem publicado verdades inconvenientes, num ano de 2018, que praticamente começou com a nota da execução, em pleno aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, do meio-irmão do líder norte-coreano, Kim Jong-un.

Na esfera da política mundial, no final deste 2018, o mundo viu partir o antigo presidente George Bush, o pai, que em 1991 pegou em armas para encetar a primeira guerra do Golfo e invadir o Iraque. Morreu aos 94 anos, cerca de oito meses após a morte de sua mulher, Barbara.

E em 2018, chegou também ao fim a longa vida da que era a pessoa mais velha do mundo. Chiyo Miyako tinha 117 anos e 81 dias, quando se despediu de nós a 22 de julho. Passou o testemunho da maior longevidade a outra japonesa, Kane Tanaka, que fará 116 anos no próximo dia 2 de janeiro.

Outros óbitos na esfera internacional:

  • Thomas Spencer Monson - líder da igreja Mórmon (90 anos) - 2 de janeiro
  • Oskar Gröning - criminoso nazi, conhecido como "O contabilista de Auschwitz" (96 anos) - 9 de março
  • Marielle Franco - política e ativista brasileira, assassinada no Rio de Janeiro (36 anos) - 14 de março
  • Johan van Hulst - professor holandês, que salvou crianças judias durante o holocausto nazi (107 anos) - 22 de março
  • Almerindo Jaka Jamba - deputado e dirigente histórico da UNITA (Angola) (69 anos) - 1 de abril
  • Winnie Mandela - ativista sul-africana e ex-mulher de Nelson Mandela (81 anos) - 2 de abril
  • Afonso Dhlakama - líder histórico e presidente da RENAMO (Moçambique) (65 anos) - 3 de maio
  • Nicole Fontaine - antiga presidente do Parlamento Europeu e ex-ministra francesa (76 anos) - 17 de maio
  • Frank Carlucci - político e antigo embaixador dos Estados Unidos em Lisboa (87 anos) - 3 de junho
  • Shoko Asahara - autor do ataque com gás sarin no metro de Tóquio em 1995, executado (63 anos) - 6 de julho
  • Kofi Annan - ganês, antigo secretário-geral das Nações Unidas (80 anos) - 18 de agosto
  • John McCain - senador norte-americano (81 anos) - 25 de agosto
  • Roelof “Pik” Botha - antigo ministro dos Negócios Estrangeiros da África do Sul durante o regime do Apartheid (86 anos) - 12 de outubro

Um ninho de cucos e um tango em Paris

Premiados, distinguidos e dois nomes que fazem parte da história do cinema saíram de cena em 2018: o checo-norte-americano Milos Forman e Bernardo Bertolucci. Do primeiro, ficaram obras como "Voando sobre um ninho de cucos", de 1975, que ganhou cinco Óscares, e "Amadeus", de 1984, que conseguiu oito estatuetas de Hollywood. Do italiano, o celuloide registou filmes como "O último tango em Paris" (1972) e "O último imperador" (1987), que arrebatou nove Óscares, incluindo o de melhor realizador.

Nas artes cénicas, 2018 foi também fatal para muitos que tinham em comum a Língua Portuguesa. Portugal viu partir as atrizes Teresa Tareka, Guida Maria, Laura Soveral e Mariema. Do outro lado do Atlântico, no Brasil, morreram Eloísa Mafalda - a Dona Pombinha da novela "Roque Santeiro" - e Beatriz Segall.

Outros óbitos no cinema e teatro:

  • John Barton - encenador e diretor teatral britânico (89 anos) - 18 de janeiro
  • Mark Salling - ator norte-americano que protagonizou "Puck", na série Glee (35 anos) - 30 de janeiro
  • Oswaldo Loureiro - ator brasileiro que protagonizou o Navalhada na novela "Roque Santeiro" (85 anos) - 3 de fevereiro
  • John Mahoney - ator britânico-norte-americano da série "Frasier" (77 anos) - 4 de fevereiro
  • Reg E. Cathey - ator norte-americano das séries "House of Cards" e "The Wire" (59 anos) - 9 de fevereiro
  • Lewis Gilbert - realizador britânico, responsável por três filmes de James Bond (97 anos) - 23 de fevereiro
  • Sridevi Kapoor - atriz indiana, uma das maiores estrelas de Bollywood (54 anos) - 24 de fevereiro
  • Artur Correia - cineasta português de animação (85 anos) - 1 de março
  • Stéphane Audran - atriz francesa (85 anos) - 27 de março
  • Steven Bochco - produtor e guionista norte-americano da série "A Balada de Hill Street" (74 anos) - 1 de abril
  • Isao Takahata - realizador japonês de filmes de animação como "Heidi" e "Marco" (82 anos) - 5 de abril
  • Verne Troyer - ator norte-americano que protagonizou Mini Me em "Austin Powers" (49 anos) - 21 de abril
  • Nelson Pereira dos Santos - cineasta brasileiro (89 anos) - 21 de abril
  • Pamela Gidley - atriz norte-americana que protagonizou Teresa Banks na série "Twin Peaks" (52 anos) - 16 de abril
  • Ermanno Olmi - realizador italiano de "A árvore dos tamancos" (86 anos) - 7 de maio
  • Antonio Mercero - realizador espanhol, autor da série "Verão Azul" (82 anos) - 12 de maio
  • Margot Kidder - atriz norte-americana, que protagonizou Lois Lane em filmes "Superman" (69 anos) - 13 de maio
  • Claude Lanzmann - realizador francês (92 anos) - 5 de julho
  • Tab Hunter - ator norte-americano que integrou série "O barco do amor" (86 anos) - 8 de julho
  • Burt Reynolds - ator norte-americano (82 anos) - 6 de setembro
  • António Escudeiro - realizador e diretor de fotografia português (85 anos) - 21 de setembro
  • Scott Wilson - ator norte-americano que integrou a série “The Walking Dead” (76 anos) - 6 de outubro
  • Katherine Macgregor - atriz norte-americana da série "Uma Casa na Pradaria" (93 anos) - 13 de novembro
  • Paulo Guerreiro - ator da Companhia de Teatro de Almada que integrou a série "Super pai" (48 anos) - 14 de novembro
  • Nicolas Roeg - realizador britânico, que trabalhou com as estrelas rock Mick Jagger e David Bowie (90 anos) - 23 de novembro
  • Manuela Cassola - atriz (93 anos) - 26 de dezembro

Aretha, Montserrat, Celeste e Iglésias

Senhoras, pelas vozes, conhecidas, várias partiram em 2018. A norte-americana Aretha Franklin, joia da coroa da música soul, morreu a 16 de agosto, cerca de dois meses antes da morte da soprano espanhola Montserrat Caballé. O ano foi também o último para o nome maior da chanson française, o franco-arménio Charles Aznavour, para a estrela pop francesa dos anos 60, France Gall, para a icónica vocalista dos irlandeses The Cranberries, Dolores O'Riordan, e para o Dj sueco Avicii.

Por cá, morreu Madalena Iglésias, em cuja curta carreira musical venceu um Festival da Canção, Celeste Rodrigues, a irmã mais nova de Amália, que a norte-americana Madonna descobriu quando assentou arraiais em Lisboa, e o feérico guitarrista Filipe Mendes, fundador dos Chinchilas na década de 60 e cuja recente integração nos Irmãos Catita o cognominou de Phil Mendrix. A preceito.

Outros óbitos na música:

  • Ray Thomas - fundador do grupo Moody Blues (76 anos) - 4 de janeiro
  • “Fast” Eddie Clarke - guitarrista britânico que integrou os Motörhead (67 anos) - 10 de janeiro
  • António Pelarigo - fadista (64 anos) - 16 de janeiro
  • Jim Rodford - baixista que integrou os The Kinks (76 anos) - 20 de janeiro
  • Hugh Masekela - trompetista sul-africano (78 anos) - 23 de janeiro
  • Mark E. Smith - vocalista dos The Fall (60 anos) - 24 de janeiro
  • John Perry Barlow - letrista da banda Grateful Dead (70 anos) - 7 de fevereiro
  • Vic Damone - cantor (crooner) norte-americano (89 anos) - 11 de fevereiro
  • Didier Lockwood - violinista francês de Jazz (62 anos) - 18 de fevereiro
  • José Carvalhinho - viola de Fado (67 anos) - 22 de março
  • Michel Sénéchal - tenor francês (91 anos) - 1 de abril
  • Cecil Taylor - pianista de Jazz (89 anos) - 5 de abril
  • José Mafra - fundador do Conjunto António Mafra (83 anos) - 9 de abril
  • Ivone Lara - cantora brasileira (97 anos) - 16 de abril
  • Glenn Branca - músico norte-americano (69 anos) - 13 de maio
  • Danny Kirwan -  guitarrista do grupo Fleetwood Mac (68 anos) - 8 de junho
  • XXXTentacion - rapper norte-americano assassinado (20 anos) - 18 de junho
  • Vinnie Paul (Vincent Paul Abbott) - baterista e co-fundador dos Pantera (54 anos) - 22 de junho
  • Ricardo Camacho - médico, radialista e teclista dos Sétima Legião (64 anos) - 4 de julho
  • Mac Miller - rapper norte-americano (26 anos) - 7 de setembro
  • Rachid Taha - cantor argelino (59 anos) - 12 de setembro
  • Marty Balin - cantor e fundador do grupo Jefferson Airplane (76 anos) - 27 de setembro
  • José Maria Nóbrega - viola de Fado (92 anos) - 9 de outubro
  • Tony Joe White - cantor de Country (75 anos) - 24 de outubro
  • Maria Guinot - cantora e compositora (73 anos) - 3 de novembro
  • Álvaro Malta - cantor lírico (87 anos) - 24 de novembro
  • Pete Shelley - vocalista da banda britânica Buzzcocks (63 anos) - 6 de dezembro
  • Norman Gimbel - compositor norte-americano (91 anos) - 19 de dezembro
  • Miúcha - cantora brasileira (81 anos) - 27 de dezembro

Os que só são notícia quando morrem

Diz uma velha regra, em tempos vigente e respeitada, que o jornalista só é notícia quando morre, algo igualmente aplicável a quem trabalha na comunicação social. Em 2018, a apresentadora de televisão Helena Ramos terá sido a mais lamentada morte dos que nos habituámos a ver no pequeno ecrã e a ouvir na rádio. Morreu no 1.º de novembro, Dia de Todos os Santos, aos 64 anos, vítima de cancro. 

Outros óbitos na comunicação social:

Pomar, Bourdain e outras artes

Em maio, a 22, Portugal despedia-se de um dos maiores artistas plásticos vivos, do século XX: Júlio Pomar. Tinha 92 anos.

O ano de 2018 foi bestialmente cruel para a arquitetura nacional, com o desaparecimento de Raul Hestnes FerreiraLuís Vassalo RosaFrancisco Barata FernandesRui LacerdaAntónio Santa-Rita.

Noutras artes, em particular nas que consolam estômagos e almas, o mundo foi surpreendido pelas mortes do mais estrelado chef pelo Guia Michelin, Joël Robuchon, do mediático Anthony Bourdain e até pelo desaparecimento de Açucena Veloso, talvez a peixeira mais famosa de Lisboa. 

Outros óbitos nas artes e letras:

  • Ursula K. Le Guin - escritora norte-americana (88 anos) - 22 de janeiro
  • Natália Nunes - escritora (96 anos) - 13 de fevereiro
  • Hubert de Givenchy - estilista francês (91 anos) - 10 de março
  • Eduardo Águaboa (Eduardo Saraiva) - escritor e jornalista - 28 de março
  • Tom Wolfe - escritor norte-americano (88 anos) - 14 de maio
  • Philip Roth - escritor norte-americano (85 anos) - 22 de maio
  • Kate Spade - estilista norte-americana (55 anos) - 5 de junho
  • Steve Ditko - criador de banda desenhada (Homem-Aranha) (90 anos) - 27 de junho
  • Altino do Tojal - escritor e jornalista (78 anos) - 15 de julho
  • V.S. Naipaul - escritor indiano e Nobel da Literatura em 2001 (85 anos) - 11 de agosto
  • Pedro Campos Rosado - artista plástico (68 anos) - 15 de agosto
  • Paul Virilio - arquiteto e filósofo francês (86 anos) - 10 de setembro
  • Robert Venturi - arquiteto norte-americano, Prémio Pritzker 1991 (93 anos) - 18 de setembro
  • Helena Almeida - artista plástica (84 anos) - 26 de setembro
  • Gil Sousa - joalheiro (48 anos) - 30 de outubro
  • Stan Lee - criador de banda desenhada (95 anos) - 12 de novembro
  • João Branco - designer de moda (40 anos) - 17 de dezembro
  • Amos Oz - escritor israelita (79 anos) - 28 de dezembro

A última Volta de Alves Barbosa

Foi o primeiro ciclista a conseguir vencer por três vezes a Volta a Portugal em bicicleta, em 1951, 1956 e 1958 e sempre pela equipa do Sangalhos. Alves Barbosa partiu de vez a 29 de setembro, aos 86 anos.

Além fronteiras, o mundo do desporto, o ano ficou marcado pelo brutal acidente que vitimou o magnata tailandês Vichai Srivaddhannaprabha, dono do clube inglês Leicester, que morreu quando o seu helicóptero se despenhou, pelo desaparecimento do histórico presidente do Barcelona, Josep Lluís Nuñez, e do ex-presidente da Fiat e da Ferrari, Sergio Marchionne. Mas sobretudo pela estranha morte do capitão da Fiorentina, Davide Astori.

Outros óbitos nos desporto:

  • Darci - antigo avançado do Belenenses (49 anos) - 3 de janeiro
  • António Martins Canaverde - antigo presidente da FPF (83 anos) - 5 de janeiro
  • Tommy Lawrence - antigo guarda-redes escocês (77 anos) - 9 de janeiro
  • Jimmy Armfield - futebolista inglês, campeão do Mundo em 1966 (82 anos) - 22 de janeiro
  • Armando Pereira - guarda-redes do FC Porto e Sp. Braga (79 anos) - 16 de fevereiro
  • Quini (Enrique Castro González) - avançado do FC Barcelona e Sp. Gijón (68 anos) - 27 de fevereiro
  • Ray Wilkins - futebolista inglês (61 anos) - 4 de abril
  • Roy Bentley - futebolista inglês e antigo capitão do Chelsea (93 anos) - 20 de abril
  • Henri Michel - jogador e selecionador francês (70 anos) - 24 de abril
  • Roger Piantoni - futebolista francês (86 anos) - 26 de maio
  • William Dunlop - motociclista (32 anos) - 7 de julho
  • Toninho Metralha - futebolista brasileiro e campeão pelo FC Porto (64 anos) - 11 de julho
  • Ricardo Ribeiro - velocista do Sporting (23 anos) - 6 de setembro
  • Esquerdinha (José Marcelo Januário de Araújo) - futebolista brasileiro e campeão pelo FC Porto (46 anos) - 31 de outubro
  • Fernando Marques - antigo presidente do Conselho da Arbitragem (89 anos) - 21 de novembro
  • Carlos Garrancho - hoquista campeão da Europa e do Mundo (71 anos) - 26 de novembro